ONLINE
13



A BÍBLIA (minissérie)

A Bíblia (no original em inglês, The Bible) foi uma minissérie televisiva americana baseada na Bíblia, criada por Roma Downey e Mark Burnett.[1] Foi um dos programas mais vistos de 2013 nos Estados Unidos, tendo alcançado no primeiro episódio uma audiência de 13,1 milhões de pessoas.[1]

Os direitos de exibição da minissérie em Portugal foram adquiridos pela SIC, sendo que foi transmitida no último fim de semana de março, nos dias 30 e 31 de março de 2013.[2][3]

No Brasil, os direitos de exibição foram comprados pela Rede Record.[4] Inicialmente a trama seria exibida a partir de 25 de setembro, mas depois a Record mudou a data para 16 de outubro, e terá uma exibição semanal todas as quartas-feiras.

Além da Rede Record no Brasil, a Rede Brasil de Televisão também irá exibir a série no formato de telenovela às 22h, de segunda a sexta-feira, iniciando no dia 28 de dezembro exibindo todos os dez episódios

O sucesso da minissérie rendeu 2 spin-offs: o longa-metragem O Filho de Deus, focado na vida de Jesus Cristo,[5] e a minissérie A.D. The Bible Continues, com 12 episódios centrados na história de Atos dos Apóstolos.

 

 

Descrição[editar | editar código-fonte]

A série abrange "Gênesis a Apocalipse" em "uma grande narrativa",[6] dentro de cinco partes de duas horas,[7] cada uma contendo duas ou três histórias bíblicas contadas através de ação ao vivo e imagens geradas por computador.[8][9] De acordo com Burnett, a narrativa inclui histórias "óbvias", como a Arca de Noé, o êxodo e a vida de Jesus Cristo.[8] Cinco horas são tirados do Antigo Testamento, cinco do Novo Testamento.[10] A série é baseada na Nova Versão Internacional e a Nova Versão Revisada da Bíblia.[9]

Downey e Burnett disseram que a sua "maior esperança" em fazer a série era que iria "afetar uma nova geração de telespectadores e atraí-los de volta à Bíblia".[11]

"Parte do que esperava conseguir com a série era mostrar que a Bíblia não é simplesmente uma coleção de histórias desconexas que são frequentemente discutidas e analisadas em trechos com capítulos e versículos", escreveu o casal em um artigo de opinião no The Huffington Publicar. "Em vez disso, queríamos mostrar como o Antigo Testamento se conecta perfeitamente com o Novo Testamento. Como elas são histórias arrebatadoras e com uma mensagem primordial: Deus ama cada um de nós como se fôssemos a única pessoa em todo o mundo para amar ".[12]

Elenco[editar | editar código-fonte]

Foi escolhido um elenco internacional para evitar "distrair o público com celebridades reconhecíveis".

Recepção[editar | editar código-fonte]

A minissérie alcançou uma pontuação de 45/100 no Metacritic, indicando "revisões mistas". Do Philadelphia Inquirer, Tirdad Derakhshani disse, "Não há nenhum trabalho de caráter aqui, há reinterpretações interessantes de um texto clássico, não atuação inspirada. Apenas personagens de papelão cercados pelo velho CGI." Do New York Post, Linda Stasi chamou a minissérie de "tediosamente prolongada".